Você está aqui: Página Inicial Notícias Letramento Digital é tema de livro publicado por professora do Campus Ouro Preto

Letramento Digital é tema de livro publicado por professora do Campus Ouro Preto

por Tatiana Toledo Ferreira última modificação 28/02/2013 08:02
Obra reúne experiências de pesquisadores de todo o Brasil e traz artigo de outros docentes da Instituição

A professora Ana Elisa Costa Novais, da área de Língua Portuguesa do IFMG-Campus Ouro Preto, publicou o livro “Letramento Digital em 15 Cliques”, pela editora RHJ. Ela divide a organização da obra com Ana Elisa Ribeiro, pesquisadora e professora do Departamento de Linguagem e Tecnologia do CEFET-MG.

“Letramento Digital em 15 Cliques” apresenta sugestões baseadas em experiências e pesquisas realizadas por docentes no âmbito da educação escolar. Dentre eles, estão os professores de Matemática do IFMG-Campus Ouro Preto Cássio Luiz Vidigal e Davidson Paulo Azevedo Oliveira. Em seu artigo, eles relatam como foi possível observar a forma com que os estudantes acompanham e conduzem uma discussão acerca de conceitos matemáticos em um ambiente virtual, no caso, o Facebook.

Sobre o tema

De acordo com Ana Elisa, letramento é um termo utilizado no campo da linguagem para definir o estado ou condição daquele que lida com práticas sociais de leitura e de escrita. “Uma pessoa é letrada quando ela sabe lidar com os mais variados textos e as mais diversas atividades de linguagem às quais tem ou precisa ter acesso. Ser letrado é diferente de ser alfabetizado. O termo letramento digital é uma derivação do termo letramento. Um letrado digital é alguém que lida bem com textos e atividades de interação típicas dos ambientes digitais (computadores, internet, telefones celulares, caixas de banco etc.).” Ela explica que existem diversos níveis e nuances de letramento digital. Um jovem que passa o tempo jogando no computador tem um letramento digital diferente de uma secretária ou caixa de banco que se restringe a utilizar apenas os programas próprios para sua atividade profissional, por exemplo.

Ainda segundo a pesquisadora, a temática do letramento digital vem sido discutida desde os anos oitenta, quando os primeiros computadores começaram a chegar às escolas. “Mesmo sem ainda utilizar essa terminologia, muito já se discutiu e pesquisou nessa área. Mas ainda temos uma herança do debate binário ‘o que é bom ou não’ para a educação. E tem também muito ‘achismo’, ou seja, muita gente opinando, mas sem fundamentar essa opinião em prática ou pesquisa séria. A carência que tentamos suprir com esse livro é a de relatos de práticas reflexivas, consistentes e que podem ser replicadas em outros contextos. A gente tentou sair do ‘sim’ ou ‘não’ e partiu logo para o ‘como’ pode ser legal utilizar as tecnologias em atividades de ensino/aprendizagem”, ressalta.


As novas tecnologias de comunicação e o processo de ensino/aprendizagem


Para uns, alienantes, para outros, salvadoras da educação. As novas tecnologias digitais têm despertado o interesse de entusiastas e pesquisadores das mais variadas áreas do conhecimento há pelo menos uma década. “Acredito que muita coisa já foi esclarecida. Existe investigação séria no Brasil sobre isso, mas a mídia tende sempre a valorizar pesquisas estrangeiras de métodos confusos, que adoram endeusar ou demonizar as tecnologias. O que eu quero dizer é que estamos produzindo conhecimento muito em cima de testes e procedimentos de observação do uso do computador, e reflexão sobre as qualidades desse uso. Já constatamos, por exemplo, que os jovens em geral sabem adequar a linguagem às situações de uso, e que não costumam utilizar em textos formais aquelas marcas típicas dos chats. Sabemos também que ler é diferente de navegar, e que nem todo bom leitor é um bom navegador. Isso faz toda a diferença para a pesquisa e para o planejamento de atividades escolares”, destaca Ana Elisa.

Ela acredita também que o país já está no caminho para a construção de instrumentos que permitam avaliar e desenvolver o letramento digital de forma mais sistemática, com matrizes de habilidades, nos moldes das que são utilizadas em currículos e avaliações de larga escala. “Com esse tipo de instrumento, acreditamos que as práticas pedagógicas mediadas por tecnologias digitais poderão ser muito mais bem fundamentadas e orientadas”, conclui.

 

Venda e lançamento

 

Com lançamento previsto para junho de 2013 no IFMG Campus Ouro Preto, com a possível presença de alguns dos autores, “Letramento Digital em 15 Cliques” já está à venda na internet e, em breve, estará disponível em livrarias de Ouro Preto.

 

Ações do documento